sexta-feira, 13 de fevereiro de 2009

Prólogo II: Devaneio Perdido

(originalmente postado em 2008-out-08: fotolog e intitulado "Walking")

Por toda tristeza, amava de menos.
Pelas inúmeras quedas, temia demais,
Pela repetição, envelheceu mais rápido.

Por ser caridoso, não tinha mais tempo.
e todos que esperavam, se decepcionavam.

De todo dinheiro guardado, fez desejos com cada centavo.
Com todo seu sono, o café era de menos.

Com pressa, as pernas se ultrapassavam...
Mas nada nem ninguém se importava.

De toda corrida, conquistou seu último lugar.
Da sua bondade, sobrou quase nada.
De cada gota que descia, uma era de sangue.
De cada gota que sorvia, nenhuma aproveitada.

Nenhum dos golpes despendidos acertou.

De cada sorriso, um era falso.
A cada minuto, um choro escondido.
A cada pessoa, uma era agradada...
A cada amigo, um era perdido.

E quando nenhum dos golpes recebidos errou,

Sob um sol forte,
sem deixar vestígios,
solitário, morreu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário